terça-feira, 27 de agosto de 2013

Chamados em missão


Testemunho de uma catequista que encontrou nas crianças a vontade de ser feliz

 Há 15 anos, a professora aposentada de geografia e his­tória Sheila Agrícola Calixto Soares se dedica ao serviço de catequista infantil na Basílica do Imaculado Coração de Maria, no Méier. A pastoral reúne cerca de 200 crianças, divididas em quatro dias da semana.
Segundo Sheila, o chamado da amiga Maria Joaquina Ramos Pinto, que na época era coor­denadora da catequese, surgiu em sua vida em uma época de depressão e dificuldades. “Nos momentos de tempestades, encontrei no trabalho como catequista uma maneira de ser­vir, de me doar ao próximo, e lá superei coisas ruins na minha vida”, revelou.
“Lançamos sementinhas no coração dos catequisandos. É uma base que tentamos plantar na vida das crianças, na espe­rança de que fiquem os valores do Evangelho e o amor a Cristo, para mostrar a eles que a missão não acaba, que é preciso seguir adiante na caminhada com Je­sus”, afirmou.
Para a catequista, a convivên­cia com as crianças proporciona uma troca de conhecimentos entre ambos, uma experiência valiosa. Após receber a Primeira Comunhão, muitas permanecem atuantes nas atividades pastorais da comunidade.
“Até hoje mantenho contato com inúmeras crianças que tive a oportunidade de catequisar. Alguns se tornaram agentes e lideranças pastorais na comuni­dade. Inclusive muitos dos jovens que se envolveram no volunta­riado da Jornada Mundial da Juventude Rio2013 foram meus catequisandos. Realmente vale a pena se dedicar e servir a essas crianças que precisam de nosso apoio e carinho”, garantiu Sheila.
IGOR MARQUES
FOTO: GUSTAVO DE OLIVEIRA