terça-feira, 16 de julho de 2013

A festa começou!


Para quem ainda tinha alguma dúvida, agora é oficial: a Jornada Mundial da Juventude já começou e movimenta a cidade do Rio de Janeiro. A Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora já estão entre nós e, desde o último dia seis de junho, percorrem os bairros e instituições da Arquidiocese do Rio. Ao todo, serão 16 dias de peregrinação, com uma intensa e diversificada programação espalhada por todos os cantos da cidade. Mais de cem lugares serão visitados pelos símbolos.

A porta de entrada da Cruz e do ícone de Nossa Senhora na cidade foi o bairro de Santa Cruz, na Zona Oeste da cidade. A pere­grinação teve início na Igreja de São José e seguiu até o Batalhão de Engenharia do Exército, onde aconteceu a celebração de acolhi­da, com uma bênção do arcebis­po do Rio e presidente do Comitê Organizador Local (COL), Dom Orani João Tempesta.
O arcebispo do Rio destacou que a escolha do bairro de Santa Cruz para receber os símbolos da Jornada se deve a uma razão histórica, pois naquele local os primeiros jesuítas, na época da colonização do país, cravaram uma cruz e começaram a sua missão e evangelização na região.
“A Cruz representa um si­nal para os jovens em tempos de mudanças. Eles devem ser protagonistas do mundo novo, com justiça, paz, fraternidade e levando os valores cristãos para todos. Já o ícone de Nossa Senhora representa a companhia da mãe junto a Jesus. Muito mais que símbolos, representam a união com Jesus e mudança de vida”, disse.
De Santa Cruz, os símbolos seguiram para a Catedral Metro­politana, onde ocorreu a Festa de Acolhimento, presidida por Dom Orani.

CATEDRAL
Com muita alegria. Assim foram acolhidos os símbolos da JMJ na Catedral. As famílias de acolhida presentes mostraram um pouco de como será a estadia dos jovens em suas casas, através do fervor com o qual receberam a Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora.
O arcebispo abençoou as fa­mílias que abrirão suas casas aos peregrinos e lembrou a todos, em sua homilia, que “devemos aco­lher Jesus Cristo na pessoa dos irmãos que batem à nossa porta”.
Famílias de diversos lugares da cidade do Rio participaram da celebração. “Para mim é uma bênção receber os peregrinos da JMJ em casa. Eu me coloco como mãe, porque meu filho foi à Madri e eu fiquei muito preocu­pada com a forma como ele seria acolhido lá. Agora, eu me coloco no lugar dessas mães que vão estar longe de seus filhos”, disse Laura Lima, que receberá quatro peregrinos brasileiros em casa.

NO CORAÇÃO DA JORNADA
Os Arcos da Lapa, no centro do Rio, conhecido por ser o local da boemia carioca, foi o palco do “No Coração da Jornada”, evento que encerrou o primeiro dia de peregrinação dos símbolos na cidade. A Cruz e o ícone fo­ram recebidos com alegria pelos jovens no local. Entre as atrações musicais do evento estavam: Martin Valverde, Ziza Fernandes, Sambandorando, Padre Omar Raposo, Frutos de Medjugore, Olívia Ferreira, Bruno Camurati e Missionário Shalom, além da animação feita por DJs católicos.
O diretor executivo do Se­tor Pré-Jornada da JMJ, padre Jefferson Merighetti, fez uma avaliação do primeiro dia de peregrinação. “O dia de hoje teve muita identidade carioca, repleto de alegria e cheio de devoção. A gente já vê a cidade tomando uma nova cor, um novo brilho com a Jornada Mundial da Juventude”, frisou.

Para o jovem Rodrigo Mon­teiro, o evento é uma mostra do rosto da juventude católica cario­ca para o mundo. “Ter um show católico aqui é emocionante. Vamos mostrar para todo mundo que a juventude católica sabe se divertir”, disse.

ROCÉLIA SANTOS E NATHÁLIA CARDOSO, COM SETOR PRÉ-JORNADA
FOTO: GUSTAVO DE OLIVEIRA