sábado, 15 de junho de 2013

Preparando a chegada do Pontífice


A Arquidiocese do Rio recebeu a comitiva do Vaticano responsável pelas celebrações pontifícias. De 4 a 7 de junho, a equipe perfez o cami­nho que o Santo Padre fará durante sua visita à cidade do Rio de Janeiro e à Aparecida. A comitiva litúrgica, presidida pelo monsenhor Guido Marini, também é composta pelos monsenhores Konrad Krajewski e Vincenzo Peroni.
Ao serem recebidos no Aero­porto Internacional Tom Jobim, no dia 4 de junho, os visitantes foram conduzidos ao Palácio São Joaquim, na Glória. Após uma reunião com os diretores dos setores Atos Centrais e Preparação Pastoral, padres Re­nato Martins e Arnaldo Rodrigues, respectivamente, no Comitê Organi­zador Local (COL), a comitiva visitou a Catedral Metropolitana, no Centro.
Na Catedral, os cerimoniários foram recebidos pelo pároco mon­senhor Aroldo Ribeiro, e avaliaram o posicionamento do Papa e dos concelebrantes no altar. Além dis­so, escolheram o local onde ficarão cardeais, bispos e a assembleia. E ainda acertaram o percurso do Sumo Pontífice na igreja. O Papa Francisco presidirá uma Santa Missa na Cate­dral, no dia 27 de julho.
O local que será a residência oficial do Papa durante a Jornada Mundial da Juventude, no Centro de Estudos do Sumaré, também esteve entre os lugares percorridos pela comitiva. Acompanhados pelo bispo auxiliar do Rio Dom Roque Costa Souza e pelo cônego José Gomes, os membros da comissão fizeram um tour pela residência e conheceram a capela onde o Sumo Pontífice poderá celebrar a missa reservadamente, caso queira.
Encerrando as atividades do dia, os sacerdotes visitaram o Seminá­rio Arquidiocesano São José, onde celebraram missa e apresentaram conferência sobre a liturgia.
“A liturgia não nos pertence, pertence à Igreja. Ela não está em nossas mãos para fazermos o que queremos. Ela é um dom. A gran­deza da liturgia é sua objetividade”, disse monsenhor Guido, em sua homilia.
Na manhã do segundo dia de visitas, 5 de junho, a comitiva esteve na Capela São Jerônimo Emiliani, na comunidade da Varginha; no Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus (HSF), na Tijuca; e no Santuário do Cristo Redentor, finalizando o planejamento dos locais que serão visitados pelo Pon­tífice e a preparação do cerimonial. Durante o dia, os visitantes também participaram da reunião dos bispos do Regional Leste 1 da CNBB, no Mosteiro de São Bento, no Centro.
O mestre de cerimônias do Papa Francisco, monsenhor Guido Marini, avaliou positivamente os trabalhos já realizados. “Encontramos um trabalho muito adiantado. O nosso empenho é facilitar essa bela cola­boração”, disse.
“Foram dias muito ricos. Não houve muitas alterações naquilo que já estava planejado. Houve apenas apontamentos de alguns detalhes que precisam estar sempre bem alinhados para que a Jornada Mundial da Juventude aconteça de forma harmônica, com muita fé e oração”, avaliou padre Arnaldo Rodrigues.
Ao final do dia 5 de junho, quar­ta-feira, a comitiva partiu rumo ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo, onde permaneceu durante o terceiro dia de visitas, 6 de junho, verificando o local da celebração do Papa no santuário. O retorno para o Vaticano aconteceu no dia 7 de junho.
IGOR MARQUES
COLABORAÇÃO: COMUNICAÇÃO JMJ RIO201
FOTOS: GUSTAVO DE OLIVEIRA