quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Contínua caminhada



Reitores dos santuários de todo o país se encontraram no Rio de Janeiro

“Se fosse possível contabilizar o quanto de bem se faz nos santu­ários de todo o país, que reúnem milhões de pessoas, veríamos quantas coisas mudam na história graças a esse trabalho”, afirmou o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, na abertura do 20º Encontro Nacional dos Reito­res dos Santuários do Brasil, que aconteceu entre os dias 18 e 23 de fevereiro, no Centro de Estudos do Sumaré, no Rio de Janeiro.
Segundo o anfitrião do en­contro, padre Serafim de Sousa Fernandes, que é reitor do Santu­ário de Nossa Senhora da Penha, o encontro tem como finalidade a partilha de experiências.
“Os palestrantes nos elucidam sobre o momento atual. No en­contro deste ano, refletimos sobre os grandes desafios da mídia e a religiosidade popular”, afirmou o sacerdote.
Para o reitor do Santuário São Judas Tadeu, de São José do Rio Preto (SP), padre Luiz Donizete Ca­puto, a troca de experiências entre os reitores de diversas localidades enriquece o trabalho realizado nos santuários. “Nós evangelizamos respeitando as diversas realidades e culturas, e a mídia faz parte do nosso trabalho de evangelização”, opinou.
O encontro, que acontece a cada dois anos em um santuário do país, foi realizado pela primeira vez no Rio. Na homilia, Dom Orani destacou que é importante refletir sobre as dificuldades atuais, inten­sificadas por uma espécie de “cato­licofobia” presente especialmente nos meios de comunicação.
“Esse é um momento propício para refletir sobre o papel dos santuários, que tem como missão proporcionar um encontro com Cristo para os fiéis, já que a socie­dade atual empurra as pessoas para outros caminhos que não levam à santidade. É necessário perseverar nessa vocação, mesmo sabendo que os tempos são diferentes e mudados. Somos chamados a continuar com renovado ardor”, motivou o arcebispo.
Recordando a perseguição so­frida pela Igreja em várias épocas, principalmente a atual, o arcebispo disse: “Passam os reinos, passam os tronos, os impérios, mas a Igreja permanece. Devemos ser firmes na fé. Nossa meta é levar a Boa Notícia para que a vida aconteça e as pessoas possam se abrir à graça de Deus”, disse.
Ele destacou que os santuários são presença marcante no país, e que o povo que aflui e caminha por esses locais demonstra que a pere­grinação é uma necessidade dos fiéis e faz parte da tradição cristã.
“Desejo que os reitores pos­sam ter o coração abrasado para continuar a caminhada. Os acon­tecimentos que ora vivemos nos ajudam a perceber a missão dos santuários em nosso país”, disse Dom Orani.

CLÁUDIA BRITO
FOTO: GUSTAVO DE OLIVEIRA