segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Campus Fidei: terra prometida dos jovens



“Em cinco meses esse campo, que no momento está vazio, estará repleto de jovens cheios de ideais de vida, de justiça, de va­lores, e que depois voltarão para seus países com o coração cheio da graça de Deus. Que eles possam ser arautos de uma nova vida, de um novo tempo”, afirmou o arcebispo do Rio e presidente do Comitê Or­ganizador Local (COL) da JMJ Rio2013, Dom Orani João Tempesta, durante a bênção do Campus Fidei, em Guaratiba, no dia 19 de fevereiro.
O nome dado pelo ar­cebispo ao terreno em Guaratiba significa campo da fé. Neste local aconte­cerão a vigília e a missa de envio da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), nos dias 27 e 28 de julho, com a presença do novo Papa.
Dom Paulo Cezar Cos­ta, diretor administrativo da JMJ Rio2013, falou aos presentes da emoção de es­tar na bênção do terreno: “A imagem que me veio ao coração, quando cheguei aqui hoje e vi o início das obras, foi a imagem de Moisés ao ver a terra pro­metida. Deus nos reservou este local para que aqui fosse realizada a vigília e a missa de envio.”
A bênção foi no local exato onde será construído o palco que ficará o Papa. Deste ponto o Pontífice terá a visão de todo o ter­reno.
Jomar Júnior, diretor de Produção da JMJ, expli­cou como o Campus Fidei funcionará: “O Campo terá três acessos. A partir da área do palco serão construídos os lotes para 30 mil e 50 mil pessoas em cada um. Nos lotes haverá banheiros, bebe­douros, postos médicos, telão, som, alimentação, tendas de adoração, ten­das de venda de produtos. Também haverá duas ilhas dependendo do tamanho do lote, para evitar que as pessoas tenham que se  deslocar muito para chegar aos serviços.”
Serão 59 ilhas de serviço distribuídas por 37 lotes. Os peregrinos que se inscreveram receberão os kits de alimentação nos acessos ao Campus Fidei. Cerca de 800 pessoas estarão envolvidas nas obras.
A Secretaria Municipal de Transporte, a Agência Nacio­nal de Transportes
Terrestres (ANTT) e todas as concessio­nárias de transportes estão traçando o planejamento de mobilidade até o local do even­to. O terreno corresponde, segundo Jomar, a mais que o dobro da área de “Quatro Ventos”, em Madri, onde foi a última Jornada. A caminhada de peregrinação dos jovens até o Campus Fidei será entre seis e 13 quilômetros.
As obras terminarão até o final de junho, para logo em seguida entrar na fase de testes de som e luz. O Papa chegará de helicóptero e se locomoverá de Papa Móvel entre o público no dia da missa de envio.
A BÊNÇÃO
A celebração da bênção come­çou e terminou com o Hino da Jornada Mundial da Juventude. Entre os presentes estavam dire­tores, colaboradores, voluntários do COL, padres e paroquianos da região e representantes federais, estaduais e municipais.
Dom Orani citou como “pro­vidência divina” o fato do Cam­pus Fidei ser na região onde fica a Paróquia São Pedro. “É uma emoção muito grande ver os trabalhos iniciados. Agradece­mos muito a colaboração”, disse.

Essa será a segunda Jornada com dois Papas. A primeira aconteceu na Alemanha. Esta também será a segunda JMJ no Hemisfério Sul – a primeira foi na Argentina, e será a primeira em português. “Os jovens são os ‘sentinelas do amanhã’. Que eles nunca percam esse entusiasmo de amar o irmão”, concluiu o arcebispo do Rio.
Segundo Dom Orani, os jo­vens não são somente destinatá­rios, mas também protagonistas de tudo o que está acontecendo. Às 16h, a bênção foi dada à terra e à cruz feita de madeira do próprio terreno. A cruz foi colocada como lembrança dos ícones da Jornada: a Cruz e a imagem de Nossa Senhora, que estão percorrendo o país.

COMUNICAÇÃO JMJ RIO2013
FOTOS: GUSTAVO DE OLIVEIRA