quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Basílica Imaculado Coração de Maria inicia Ano Jubilar



A comunidade paroquial da Basílica Imaculado Coração de Maria, no Méier, está em festa. Em 2014, serão com­pletados 50 anos em que a paróquia recebeu o título de basílica menor, por decreto do Papa João X XIII.
A missa solene de abertura do Ano Jubilar, realizada no dia 9 de fevereiro, foi presi­dida pelo arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, que concedeu aos fiéis a in­dulgência plenária. Entre os concelebrantes estavam o atual pároco, padre Fernando Mazula, e o vigário episcopal do Vicariato Norte, padre Cláudio dos Santos.
“Celebrar o título de basíli­ca é reconhecer não só a beleza e o esplendor do templo, mas renovar o dinamismo missio­nário. É preciso avançar em águas mais profundas, pois há muitas pessoas que estão sedentas em ouvir a Palavra de Deus”, disse Dom Orani.
A construção do atual templo teve início em 1909, confiada a Congregação dos Filhos do Imaculado Cora­ção (padres claretianos). A paróquia foi criada em 12 de outubro de 1918, e se tornou um referencial da Zona Norte do Rio de Janeiro.
“O tempo passou bem de­pressa. Eu era uma jovem de 25 anos, quando no meio da assembleia, testemunhei o recebimento do título de basílica. Muitas pessoas que se doavam e participavam já estão com o Pai. A celebração de hoje me trouxe mu it a s lembranças”, disse Odinea da Rocha Bittencourt, que há 62 anos participa da comu­nidade.
DE PARÓQUIA À BASÍLICA
Para que a igreja postule o título de basílica menor, o templo deve ser dedicado a Deus por um ato litúrgico e destacar-se dentro da diocese, não pela grandiosidade, mas pela atuação litúrgica, por sua ação pastoral e na valorização das celebrações da Eucaristia, pela penitência e a viva ce­lebração dos sacramentos. É fundamental a fidelidade às normas litúrgicas da Igreja e a participação ativa do povo de Deus.
Na Arquidiocese do Rio, existem quatro basílicas.

IGOR MARQUES
FOTO: CARLOS MOIOLI